A Tríade da mulher atleta: Deficiência de energia, amenorreia e osteoporose

Esportes e exercícios são atividades saudáveis para meninas e mulheres de todas as idades. Ocasionalmente, uma atleta que se concentra em emagrecer ou perder peso pode comer muito pouco ou se exercitar demais. Fazer isso pode causar danos a longo prazo para a saúde. Isso pode também prejudicar o desempenho atlético, ou tornar necessário limitar ou parar o exercício.

Tríade da mulher atleta

Três doenças inter-relacionadas podem desenvolver-se quando uma garota ou mulher jovem vai aos extremos em fazer dieta ou exercícios . Juntas, estas condições são conhecidas como a “tríade da mulher atleta”.

Tríade da mulher atleta é uma condição que afeta geralmente atletas como ginastas, dançarinas ou levantadoras de peso.

Distúrbios alimentaresamenorreia e osteoporose afetam certos grupos de atletas, muitas vezes ocorrem como sintomas para esta síndrome. Distúrbios alimentares, amenorreia (perda do ciclo menstrual) e o desenvolvimento da osteoporose só afetará negativamente a energia dos atletas.

Cada componente da Tríade da mulher atleta pode ocorrer nas formas leve a grave, com diferentes sintomas e prejuízio na qualidade de vida. Nem todos os componentes precisam estar presentes, mas se um componente é encontrado, o médico deve verificar se a atleta apresenta os outros.

Epidemiologia

A prevalência de irregularidades menstruais, transtornos alimentares e baixa mineralidade óssea varia amplamente na população em geral e na comunidade atlética.

Em mulheres que participam em esportes que enfatizam a estética ou a magreza, como balé ou corrida, a prevalência de amenorreia secundária pode ser tão elevada como 69%, em comparação com 2% a 5% na população em geral.

Transtornos alimentares, incluindo uma gama de irregularidades alimentares, que não são necessariamente critérios para transtornos graves, tais como a anorexia nervosa e a bulimia nervosa, também é bastante comum na comunidade atlética. Mais de 70% dos atletas de elite que competem em esportes de peso estão de dieta e têm algum tipo de padrão alimentar desordenado, com o objetivo de reduzir o peso antes da competição.

A prevalência de baixa densidade óssea mineral na atleta feminina tem sido estudada também. A prevalência de osteopenia varia de 22% a 50% em atletas femininas, com abrangência de 0% a 13% de osteoporose.

Tratamento

O tratamento deve incluir o reconhecimento da doença, prevenção, correção do déficit de energia, aumentar o cálcio da dieta, manter uma boa saúde óssea, e resumir a função menstrual normal.

Para superar os efeitos da Tríade da mulher atleta, pacientes vão precisar de um tratamento multidisciplinar e uma equipe constituída por um médico, nutricionista, psicólogo e um treinador de atletismo.

Um paciente com história de fraturas por estresse deve se submeter a uma avaliação especializada.

Isto inclui a uma avaliação da história de ciclo menstrual, consulta nutricional, exames de densidade óssea (densitometria óssea) e consulta psicológica para possíveis transtornos alimentares.

Compartilhe essa informação!
Esportiva-Brasília
Esportiva-Brasília

Dr. Márcio R. B. Silveira, criou a Clínica Salus Ortopedia e Fisioterapia em Brasília-DF, para atuar principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; lesões de menisco com sutura em crianças e reparo; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural, através de protocolo exclusivo baseado na análise cinemática da marcha.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *